Entrevista com Jessica Anitelli - autora de O Punhal

Postado por Bia Carvalho

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Pessoal, hoje trago para vocês uma entrevista com mais uma autora nacional que está prontinha para ingressar nesse mundo literário delicioso.

Jéssica Anitelli é a autora do livro "O Punhal", publicado pela Dracaena, e tem tudo para se tornar um sucesso! Vamos conhecer mais dessa autora brazuca?

AMS- Jéssica, fale-nos um pouco sobre seu livro O punhal:

JA - “O Punhal” é uma estória sobre vampiros, tendo como personagem principal um garoto de nome Diogo que tem 17 anos. Diogo é um garoto normal, mesmo às vezes sendo um cretino, vai à escola, sai com os amigos e tem uma namorada de nome Júlia. Mas o que o diferencia dos outros é que desde criança ele vê um homem que sempre o segue durante a noite.
Quando está voltando de uma festa acompanhado pela sua namorada, eles são abordados por assaltantes e com isso Diogo acaba sendo baleado. Augusto, o homem que sempre o segue, aparece no local para salvar os dois jovens, mas ele percebe que Diogo acabará morrendo se esperar muito tempo,com isso Augusto, que é um vampiro, acaba transformando o garoto em um também.
Quando Diogo desperta como vampiro lhe é contado por Augusto o motivo de sempre ter sido seguido por ele e a história de um antepassado seu que também era vampiro, Henrique. O garoto por ser o único herdeiro homem de Henrique recebe das mãos de Augusto o punhal que pertencia ao seu parente. Após contar, entre partes, a história para Diogo, Augusto lhe explica como é ser um vampiro nos dias atuais. Diz que os seres da noite são regidos por uma organização e que devem seguir algumas regras e uma delas é não manter contato com nenhum humano. Diogo se vê obrigado a viver com outros vampiros e nunca mais procurar por sua família e namorada.
Ele conhece a vampira Marta que acaba mexendo com seus sentimentos, mesmo ainda amando Júlia. Mesmo Diogo sabendo das regras do conselho dos vampiros e suas proibições ele acaba infringindo uma das mais importantes e com isso causa muitos problemas para Augusto e Júlia.

AMS- Como surgiu a ideia para escrevê-lo? Quais foram suas maiores inspirações?

JA- Fiquei alguns meses maquinando alguma estória que pudesse escrever, mas nenhum tema me vinha à mente. Depois que eu li o livro “Os Sete” do autor André Vianco fiquei ainda mais com vontade de escrever, nem tanto pela obra dele ser sobre vampiros, mas por ser ambientada no Brasil. A ideia de escrever sobre vampiros só veio mesmo depois que assisti o filme “A rainha dos condenados”, baseado na obra de Anne Rice.

AMS- Qual foi o livro ou autor que a fez decidir que queria ser escritora?

JA- A série Harry Potter da autora J. K. Rowling, ela salvou minha vida hahaha

AMS- Como é seu processo de escrita? Onde escreve, manias, como lida com bloqueios...

JA- Escrevo direto no computador, não costumo fazer rascunhos e coisas do tipo. E também não escrevo um roteiro para seguir, apenas sento na frente do computador e deixo as ideias surgirem. Fico super frustrada quando não consigo escrever. Mas há algum tempo adotei uma técnica que manda o bloqueio embora: assisto a clips das bandas que gosto. Está funcionando muito bem. Às vezes as ideias surgem quando estou na metade do vídeo, precisando assim que eu o feche e volte para continuar minha narrativa com a mente fervilhando.

AMS- Como foi a busca por uma editora?

JA- O problema não foi a editora e sim a minha insegurança, pois depois que terminei de escrever “O Punhal”, segurei ele comigo por cerca de 1 ano e meio. Depois que eu resolvi mandar, enviei apenas para duas editoras, uma delas é a Dracaena e a outra não me respondeu até hoje.

AMS- Atualmente temos lido muitas histórias sobrenaturais. Em que o seu livro se diferencia dos demais do mesmo gênero?

JA- Meu livro tem como ambiente a minha cidade natal, Leme, um pequeno município com cerca de 90 mil habitantes no interior paulista. Quando comecei a escrever o livro tive que pesquisar um pouco sobre a formação da cidade e coisas do tipo. Com relação aos meus personagens, principalmente o Diog oe a Júlia, eles são típicos adolescentes brasileiros. Tentei ao máximo retratar com fidelidade a vida de um jovem na idade deles. Já sobre o sobrenatural, ou vampiro, tem-se atualmente na mídia algumas obras que estão fazendo muito sucesso, como Crepúsculo e Vampire Diaries. Eu particularmente não gosto de Crepúsculo, assisti o primeiro filme e não gostei do que vi, depois disso nunca mais fui atrás. Já Vampire Diaries conheci em janeiro desse ano quando passou na TV aberta. Gostei muito, principalmente do Damon, mas para mim é inconcebível um vampiro andar durante o dia e isso aparece nas duas obras. Tentei manter meus vampiros como seres maus, tendo humanidade apenas quando lhes convêm. Eles caçam humanos e os matam sim, sem hesitação. E eles vivem escondidos dos humanos para conseguir manter o equilíbrio entre as espécies.

AMS- Qual o público que espera atingir e que mensagem deseja passar a ele?

JA- O público adolescente, de uns 14 ou 15 anos para cima até adultos que se interessarem pelo tema. Acho que a principal mensagem é de que ninguém é perfeito, todos possuem seus defeitos independente do que a pessoa é. Não gosto de personagens idealizados, por isso mesmo os construo com alguns defeitos, tornando-os assim mais próximos da realidade. Mesmo o Diogo, sendo o principal, é quem mais comete erros no decorrer na da narrativa.

AMS- Deixe um recado para os leitores do blog.

JA- Primeiramente agradeço aoportunidade de mostrar um pouco sobre o meu primeiro livro. E espero quegostem de “O Punhal”. Para quem quiser saber mais sobre a obra pode dar uma passadinha no meu blog: http://jessicaanitelli.blogspot.com, me seguir no twitter @jeh_anitelli ou me add no facebook.

Agradeço a todos que leram a entrevista.

Abraços e beijos.

***


Quer saber mais sobre "O punhal"? Então confira a capa e sinpse:

"Seus olhos verdes sempre cruzavam com aqueles olhos gélidos durante a noite. Ao vê-los, junto com aquela pele esbranquiçada, o coração disparava, os pelos do corpo arrepiavam e a boca secava. Eram essas as sensações que Diogo sentia ao ver a figura daquele homem que o seguia desde criança. Sentia medo, lógico, mas por outro lado tinha a sensação de que algo em sua alma os ligava. Mal sabia que Augusto, um vampiro com mais de 100 anos, tinha planos para ele, planos esses que envolviam sua ida para a vida noturna. Após a noite em que o sangue de Augusto tocar seus lábios sua adolescência nunca mais será a mesma, se tornará sombria, tenebrosa, intrigante e ao mesmo tempo fascinante. Mas conseguirá ocultar lembranças e sentimentos humanos? Esquecerá o amor por Júlia? As mudanças sofridas no início de sua existência noturna serão baseadas em Henrique, um vampiro que possuía os mesmos olhos verdes de Diogo e de sua família, tão verdes quanto às esmeraldas contidas no punhal."


***

Gostaram? Então não deixem de dar uma chance a esse livro!!!


E você, autor nacional, que também está prestes a lançar seu livro, o Amor, Mistério e Sangue sempre terá um espaço para você.

Quer uma resenha, entrevista ou uma divulgação de sua obra?? Mande um e-mail especificando seu interesse no assunto para: biasbook@gmail.com

Estamos aqui para ajudar!

4 comentários:

Camila Márcia testemunhou...

Ahhhhhhhhhh, adorei quando ela disse que Harry Potter salvou a vida dela, kkkkkkkkkkkkk... Simplesmente sou fã de HP. HarryForever...S2

Fiquie triste por ela dizer que não gosta de Crepúsculo, sei que a história é um pouco diferente das comuns, mas achei super a criatividade da Meyer, eu gosto e também gosto muito de Diários do Vampiro, apesar de a série ser melhor que os livros, gosto te ambos.

Abraços,
Camila Márcia
@camila_marcia
http://delivroemlivro.blogspot.com/
http://devaneiosfugazes.blogspot.com/

Renata testemunhou...

Oi Bia!!!
Que capa mais linda!!!! Apesar de estar um pouco cansada de vampiros, gostei da sinospe.
Sucesso para a autora.
bjs

Vanilda testemunhou...

A capa é bem bacana e a autora é bem jovem,não é? Eu gosto das histórias com sobrenatural, mas ainda não li nenhuma ambientada no Brasil, apesar de ver que muitos escritores têm investido nesse tema. Foi uma excelente entrevista!

DÊ SEU TESTEMUNHO...