PROMOÇÃO NATALINA

Postado por Bia Carvalho

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Jingle Bells!!!
Já chegou o Natal por aqui e por mais alguns blogs amigos!!!! Que tal ganhar uns livrinhos de presente???

É só preencher corretamente o Rafflecopter e  pronto, já está participando.

Regras
 - Residir no Brasil;
 - Validar o post com "Participando";
 - Curtir as Fanpagens dos blogs participantes;




Chances Extras:
 - Seguir o Amor Literário - GFC;
 - Seguir o  Amor, Mistério e Sangue - GFC;
 - Seguir o  Apaixonadas por Livros no Networkedblog;
 - Seguir o  Daily Book of Milla - GFC;
 - Seguir o doces Letras no Instagram;
 - Seguir o  Quatro Amigas e Um livro viajante no Twitter;
 - Seguir o Penseira Literária - GFC;
 - Inscrever-se no Canal do You Tube do Tribo do Livro

Termos Gerais:


1 - Esta promoção não tem fins lucrativos, o blog visa somente incentivar a leitura;
2-A promoção tem início no dia 30/11/2013 e vai até 30/12/2013;
3- Serão  APENAS 2 ganhadores dentre os participantes da promoção, sendo que os mesmos deverão estar em conformidade com as regras divulgadas;
Os ganhadores receberão um e-mail e deverão respondê-lo em até 3 dias. Caso isso não ocorra, o sorteio será refeito.
4 - A escolha dos livros será pela ordem de sorteio: o primeiro ganhador escolhe 1 kit +3 livros e o outro kit + 3 livros restante fica com o segundo sorteado;
5 -Os brindes são de responsabilidade dos blogs participantes e cada um enviará o seu aos ganhadores em até 40 dias após o recebimento dos dados dos ganhadores.

Trono de vidro - Sarah Maas

Postado por Bia Carvalho

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Editora: Galera Record
Páginas: 392
Série: Throne of glass #1
Faixa etária: 14+
Título Original: Throne of glass
Classificação: ***

A História: Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, um jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.
 
Minha Opinião: Eu estava muito empolgada para ler este livro. A premissa era de roer as unhas: uma assassina sedutora, um príncipe debochado e um capitão da guarda real protetor? Era certo que eu iria me deliciar com a história. Mas, infelizmente, não foi o que aconteceu.
O livro não me prendeu desde o início. Peguei-me muitas vezes torcendo para que fosse apenas uma parte introdutória na história e que tudo iria começar a melhorar quando iniciasse o treinamento de Celaena e, principalmente, o torneio em si. Mais um ledo engano.
A história possui um ritmo lento. O que normalmente não me incomoda, porém, desta vez, senti como se nada estivesse acontecendo, por mais que houvesse. Os diálogos me entediaram, as cenas me faziam não ter vontade de continuar o livro, e a parte interessante começou a acontecer quase no final do livro.
Não posso negar que gostei muito de Celaena. Encontrei nela uma personagem forte, destemida, que sofreu imensamente, e que por isso teve que se virar na vida. Ao mesmo tempo que era uma assassina hábil e cheia de cartas na manga, ela mantinha a feminilidade, o gosto pelo que é belo e delicado. Além disso, possuía seus momentos de fragilidade.
A decepção, contudo, com a leitura em si, foi muito grande. Mas talvez minhas expectativas tenham feito com que eu me decepcionasse mais do que deveria. Até porque a leitura não foi exatamente desagradável, porém, simplesmente não me prendeu.
A escrita da autora, apesar de lenta, é bastante interessante, e os personagens foram bem construídos. Acredito que no segundo volume, as coisas ganhem mais emoção e tenhamos  mais reviravoltas. Mas não acredito que eu vá dar uma segunda chance à série.

O visconde que me amava - Julia Quinn

Postado por Bia Carvalho

segunda-feira, 28 de outubro de 2013


Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Série: Os Bridgertons #2
Faixa etária: 18+
Título Original: The viscount who loved me
Classificação: ****


A História: A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.

Minha Opinião: Leve, divertido e charmoso!
Esse é o segundo livro de Julia Quinn que leio, ambos da mesma série. Gosto da forma como ela consegue criar cenas engraçadas, situações quase absurdas, sem deixar que o texto se torne um pastelão ridículo. Seus personagens têm suas personalidades muito bem formadas, suas manias, suas particularidades, e isso contribui para que a leitura seja a mais agradável possível.
Os protagonistas deste livro, Anthony e Kate, possuem uma química impressionante, tanto em suas cenas românticas quanto em seus diálogos afiados e muito divertidos. Porém, eles são apenas dois personagens em um grupo muito peculiar de pessoas, desde a mãe do visconde, que escolheu os nomes dos filhos de acordo com a ordem alfabética, até a misteriosa colunista de fofocas do jornal que parece saber de tudo sobre todos e estar em todos os lugares. Aliás, esse é um dos charmes da trama. A famosa Lady Whistledown e suas notícias bombásticas. Além das histórias deliciosas, ainda há o mistério a descobrir: Quem é Lady Whistledown? Eu tenho minhas teorias, mas não vou dividir com vocês, é claro.
Estou muito ansiosa para o próximo livro da série, pois todos os irmãos de Anthony são extremamente charmosos e divertidos, porém, Colin é o que mais me agradou até agora, portanto, tenho uma leve impressão de que o livro dele será um dos meus preferidos.
Super recomendado para quem precisa de boas risadas e alguns suspiros.

O Julgamento de Gabriel - Sylvain Reynard

Postado por Bia Carvalho

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Editora: Arqueiro
Páginas: 384
Série: Gabriel's Inferno #2
Faixa etária: 18+
Título Original: Gabriel's rapture
Classificação: **

A História: Após uma viagem romântica para a Itália, durante a qual Gabriel ensina a Julia todos os mistérios do prazer e, em troca, aprende com ela o significado do amor verdadeiro, os dois veem seus sonhos ameaçados. Duas denúncias junto ao Comitê Disciplinar da Universidade põem em risco o emprego de Gabriel e a carreira brilhante e promissora de Julia. Será que o professor vai ceder às ameaças ou irá lutar até o fim por sua amada? Será que essa paixão conseguirá resistir a um julgamento implacável? Na apaixonante sequência de “O inferno de Gabriel”, Sylvain Reynard constrói uma bela história de amor, da qual os leitores jamais se esquecerão.

Minha Opinião: Decepção... Infelizmente esta é a palavra para definir meus sentimentos ao terminar a leitura deste livro.
Quando O inferno de Gabriel entrou na minha vida, eu me vi absorvida pela leitura de uma forma completamente hipnótica. Eu mergulhei no mundo daquele personagem tão contraditório - porém, ao mesmo tempo, tão apaixonante - e ansiei pelo segundo volume com muito entusiasmo. Talvez este tenha sido meu erro... superestimei a continuação, sem nem mesmo iniciar a leitura... e, no final das contas, me vi completamente perdida.
A sensação durante a leitura foi a mais estranha possível. Era como se tivessem trocado o autor. Não havia mais as cenas de partir o coração, nem os diálogos incríveis ou mesmo a profundidade da escrita, que tanto me encantou no primeiro livro. Desconheci a história que estava lendo, me deparei com cenas completamente deselegantes e com um apatetado Gabriel, que parece que se tornou um obcecado por Julia... mais nada.
A primeira metade do livro é dedicada a muitas cenas de sexo. Só isso! Não há conflito, não há ação... não há drama... apenas cenas de um casal feliz e saudável... Na segunda metade, quando eu já estava quase desistindo da leitura, as coisas melhoram um pouco. Na verdade, nada do que eu imaginava aconteceu, e garanto que o que eu tinha em mente seria bem mais interessante do que o que aconteceu.
Fico triste em ver que uma história maravilhosa tomou um rumo completamente inesperado... e decepcionante. Dou duas estrelinhas com o coração partido e esperando que o terceiro volume me surpreenda positivamente.

A desconstrução de Mara Dyer - Michelle Hodkin

Postado por Bia Carvalho

domingo, 13 de outubro de 2013



Editora: Galera Record
Páginas: 375
Série: Mara Dyer #1
Faixa etária: 16+
Título Original: The unbecoming of Mara Dyer
Classificação: ****

A história: Um grupo de amigos... Uma tábua ouija... Um presságio de morte. Mara Dyer não estava interessada em mensagens do além. Mas para não estragar a diversão da melhor amiga justo em seu aniversário ela decide embarcar na brincadeira. Apenas para receber um recado de sangue. Parecia uma simples piada de mau gosto... até que todos os presentes com exceção de Mara morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. O que o grupo estaria fazendo em um prédio condenado? A resposta parece estar perdida na mente pertubada de Mara. Mas depois de sobreviver à traumática experiência é natural que a menina se proteja com uma amnésia seletiva. Afinal, ela perdeu a melhor amiga, o namorado e a irmã do rapaz. Para ajudá-la a superar o trauma a família decide mudar para uma nova cidade, um novo começo. Todos estão empenhados em esquecer. E Mara só quer lembrar. Ainda mais com as alucinações - ou seriam premonições? - Os corpois e o véu entre realidade, pesadelo e sanidade se esgarçando dia a dia. Ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir a loucura de tomá-la....

Minha Opinião: Sombrio, original e instigante a cada página. Somente essa descrição poderia caracterizar este livro, mas garanto que ele é muito mais.
Quem de nós nunca se sentiu curioso a respeito dos espíritos? E quantas vezes essa curiosidade não nos levou a fazer algumas burradas que nos deixaram arrependidos depois? Bem, no caso de Mara a coisa foi um pouco longe demais. Essa brincadeira inocente levou a vida de três de seus amigos. Porém, apesar de ter saído intacta daquela noite, Mara não se lembra de nada. 
E a partir daí é uma sucessão de cenas fortes, surpresas e tiradas sarcásticas, muito bem sacadas, que tornam até mesmo as cenas mais clichês interessantes. Por falar em cenas clichês, eu assumo que fiquei um pouco entediada com algumas passagens no colégio, algumas cenas completamente desnecessárias que teriam tornado a leitura ainda mais excitante. Não me incomodei com as longas cenas de romance, pois foram fofas, mas em um livro de terror, acho que funcionaria melhor com metade delas apenas.
Apesar de tudo isso, continuo muito impressionada com a leitura. Há uma coleção de personagens cativantes e um mistério que me prendeu do começo ao fim. 
Super recomendado!

Inferno - Dan Brown

Postado por Bia Carvalho

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Editora: Arqueiro
Páginas: 448
Série: Robert Langdon #4
Faixa etária: 16+
Título Original: Inferno

A História: Neste fascinante thriller, Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em "O Código Da Vinci", "Anjos e Demônios" e "O Símbolo Perdido" e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, ele luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo poema de Dante, e mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.

Minha Opinião: De uns tempos para cá eu venho me decepcionando um pouco com as obras de Dan Brown. Minha primeira decepção foi com O símbolo perdido, que não foi exatamente o que eu esperava. Inferno chegou com uma promessa irresistível dos melhores thrillers do autor: suspense, informações culturais, uma escrita cheia de ganchos e reviravoltas. Bem, não foi bem isso que eu encontrei.
A impressão foi de estar lendo um artigo da Wikipedia. Eram muitas informações, jogadas no texto sem necessidade e de uma forma muito mecânica. Senti como se Dan Brown tivesse a necessidade de escrever um novo Código DaVinci, mas ainda não teve nenhuma ideia tão genial quanto. O que é lamentável, pois ainda espero me desesperar novamente ao virar cada página, como aconteceu quando li os dois primeiros livros da série Robert Langdon.
Sobre os personagens, já me cansou um pouco essa síndrome de James Bond de Langdon de sempre fazer parceria com uma mulher nova em cada livro. Outra coisa que me incomoda são as poucas referências aos outros livros da série. Gente! Langdon salvou o mundo mais de uma vez! Ele descobriu segredos milenares, envolvendo Cristo, e nada de mencionarem esses feitos heroicos neste volume. Não sei de o autor queria dar a impressão de não se tratar de uma série, mas acho que isso não convence ninguém.
Assim como aconteceu quando li O inferno de Gabriel, fiquei muito curiosa com a história criada por Dante. A forma como as obras baseadas na obra foram apresentadas, me deixaram ainda mais fascinada por A divina comédia e pela pessoa de Dante Alighieri, tão enigmático quanto sua história.
A decepção foi desanimadora, mas eu não posso negar que ainda vou querer ler novos episódios protagonizados por nosso destemido (ou nem tanto) Langdon. Quem sabe Dan Brown não acerta a mão novamente?

Quantas Estrelas:

Métrica - Colleen Hoover

Postado por Bia Carvalho

segunda-feira, 23 de setembro de 2013


Editora: Record
Páginas: 304
Série: Slammed #1
Faixa etária: 14+
Título Original: Slammed

A História: O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina. Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor. 

Minha Opinião: Poesia... Eu sempre amei poesia. Sempre amei interpretá-las, fazendo com que coubessem exatamente no momento da minha vida. Sempre as escrevi também, derramando minha alma em folhas de papel, metaforizando tristezas, alegrias e histórias. Meu tema preferido sempre foi coração partido. Talvez a tristeza seja bela, em sua própria maneira.
Bem... a tristeza é bela sim. Pelo menos em Métrica eu li um lindo livro. E triste... triste que chega a doer.
E os personagens de Métrica transformavam dor em poesia. Principalmente a dor da perda. Na verdade, nossos protagonistas sofreram perdas traumáticas, cada um de uma forma. Perda de entes queridos, perda da liberdade, perda do direito de ser feliz. Cada um deles lida com essa perda de uma forma diferente. E é por isso que eu afirmo que Colleen Hoover criou uma trama que poderia ser simples, para quem lesse sua sinopse, mas ela soube tecer uma teia de belos relatos de vida, construir personagens que poderiam simplesmente morar na casa ao lado, de tão reais e interessantes.
A linguagem é simples, e creio que essa foi mais uma estratégia da autora para nos aproximar da leitura. Não há como se entediar com Métrica, não há chance de colocar o livro de lado. A carga emocional é constante, e identificação é imediata.
Esse é, sem dúvida, um dos melhores livros que já li, e um dos melhores deste ano. Espero ansiosa pela continuação.

Quantas estrelas:


Sedução ao amanhecer - Lisa Kleypas

Postado por Bia Carvalho

domingo, 18 de agosto de 2013



"Estou correndo atrás de você, e da vida, numa busca desesperada. Meu sonho é que um dia vocês se deixem alcançar."
Pág. 55

Editora: Arqueiro
Páginas: 242
Série: The Hathaways #2
Faixa etária: 18+
Título Original: Seduce me at sunrise

A História: Merripen e Win são apaixonados desde pequenos. Ele é um cigano amaldiçoado, cheiro de cicatrizes na alma, que vê na bela menina loira e graciosa sua única luz. Porém, Win está doente, e precisa se afastar para se curar. E Merripen jura que jamais irá tocá-la, pois não se acha merecedor de seu amor.
Ao voltar, dois anos depois, completamente curada de sua grave doença, ela reencontra seu amor, ainda mais arredio e  soturno, e se vê em um dilema: esperar que ele aceite seu amor ou se jogar nos braços de outro, que oferece tudo que ela sempre quis, mas que jamais poderá lhe fazer completamente feliz?

Minha Opinião: Só tenho uma palavra para descrever esse livro: Encantador.
Lisa Kleypas conseguiu uma façanha que eu achava impossível; ela conseguiu superar o primeiro livro da série, que eu achava insuperável. Merripen e Win são doces, sedutores, delicados... o amor deles é extramente crível, dolorido, angustiante. Não há como não ter vontade de entrar no livro e sofrer junto de Win, sentir cada fagulha de seu amor se extinguir por um capricho, uma teimosia.
Toda a construção do passado de Merripen nos auxilia a compreendê-lo, e eu achei genial a forma como Lisa o caracterizou, utilizando, mais uma vez, uma interessante pesquisa do mundo Rom e inserindo essas nuances em seu caráter. Ele é um homem maculado pela violência, então, até seu modo de amar é violento. Ele não sabe medir seus sentimentos, então, preparem-se para um personagem intenso e muito profundo.
Gostei de reencontrar meus antigos amigos: Cam e Amélia, já casados e mais maduros, principalmente em seu relacionamento. Também perceber que Leo, que é um personagem que eu acho que terá um grande livro, está mais regrado e que já tem até uma pretendente, embora eu não tenha levado muita fé no romance deles.
Mais uma vez as cenas sensuais dão de dez a zero em qualquer erótico que tem aparecido por ai. Há uma cena até de um BDSM bem de levinho, que já conseguiu superar qualquer uma de Cinquenta tons de cinza (Rs.).
Estou simplesmente amando essa série. Lamento apenas o fato de os livros serem tão curtinhos. Adoraria ler mais e mais páginas dessas histórias maravilhosas. E só posso dizer que Lisa Kleypas entrou para a lista de autoras favoritas.

Quantas estrelas:





Cidade das almas perdidas - Cassandra Clare

Postado por Bia Carvalho

quarta-feira, 14 de agosto de 2013


Editora: Galera Record
Páginas: 434
Série: Instrumentos Mortais #5
Faixa etária: 14+
Título Original: City of Lost Souls

A História: Jace está desaparecido. Tudo indica que foi levado para Sebastian, que tem propósitos sombrios e desconhecidos.
Mas Clary não está disposta a desistir dele. E nem seus amigos.
Em um plano arriscado para recuperá-lo, os caçadores de sombras se envolvem em uma arriscada missão, enquanto Clary se infiltra do perigoso mundo de Sebastian, na intenção de tentar descobrir seus planos e salvar o garoto que ama.
Mas será que ela conseguirá sobreviver?

Minha Opinião: Pegar um livro de Cassandra Clare nas mãos é o mesmo que caminhar em uma floresta, à noite, usando uma venda nos olhos. Você simplesmente tem medo do que vai acontecer em seguida, o que ela irá aprontar na cena seguinte. A verdade é que não há autora tão cheia de cartas na manga quanto ela.
Senti uma lentidão maior nesse livro do que nos outros. Mas não poderia considerar como algo ruim. A cada avanço da leitura, eu me sentia mais e mais desesperada por respostas. Eu QUERIA saber o que estava acontecendo com o meu personagem favorito de todos os tempos, mas ela simplesmente não matava a minha curiosidade, não diminuía minha ânsia por descobrir o que havia por trás do que ela estava nos mostrando. Ao mesmo tempo, eu queria que a leitura durasse mais e mais.
Jace é, sem dúvidas, meu personagem favorito. Neste livro a presença dele não é tão constante... pelo menos não da maneira como gostaríamos. Em contrapartida, posso garantir que foi ele (Jace) que rendeu as melhores cenas (inclusive MUITO quentes), além de ter me emocionado em mais de uma ocasião. Sebastian, o vilão de quem pouco sabemos, é a verdadeira estrela deste volume. E ele brilha... Sem dúvida ele se mostra um vilão mais ardiloso até mesmo que Valentim.
Outro personagem que tem um destaque muito interessante e que consegue me surpreender é Simon. O prólogo é dele, e posso garantir que rendeu uma angustiante dor no coração. É interessante ver o amadurecimento dele durante a evolução da série, passando do menino nerd e bocó para o salvador de todo. Inclusive de Jace.
Acho que a grande mensagem deste livro é a amizade e o amor. Até onde você iria para salvar a pessoa que ama? O que faria? De que desistiria? Quem enfrentaria? Todos esses questionamentos são pertinentes a esse livro. Há muito de honra e gratidão também. Cassandra Clare sabe como dar uma lição como ninguém, das formas mais sutis e intrínsecas possíveis.
Rumo, então, ao filme e ao último da série. Será que meu coração aguenta?

Quantas estrelas?

Resultado da promoção Entre o agora e o nunca

Postado por Bia Carvalho

terça-feira, 30 de julho de 2013

Sussurros ao luar - C.C. Hunter

Postado por Bia Carvalho

terça-feira, 23 de julho de 2013



Editora: Jangada
Páginas: 382
Série: Acampamento Shadow Falls #4
Faixa etária: 13+
Título Original: Whispers at moonrise

ATENÇÃO! ESSA RESENHA PODE CONTER SPOILERS DOS LIVROS ANTERIORES!

A História: Depois de descobrir algumas verdades desagradáveis sobre si mesma, Kylie está tentando obter mais informações sobre seus poderes e sua origem. 
E, claro, ainda tenta lidar com dois pretendentes completamente diferentes.
Mas tudo complica quando uma gangue de marginais aparece, colocando-a em perigo. Além disso, seu tempo em Shadow Falls pode estar se acabando. Definitivamente.

Minha Opinião: Tudo que é demais enjoa, certo? Essa regra nem sempre se aplica para livros, pois há sempre aquela série que quanto mais avança, mais nos surpreende. Bem, não é o caso da série Acampamento Shadow Falls. Para mim... deu!
Acho que a mitologia criada pela autora tinha tudo para dar certo; ela criou personagens interessantes, fez uma mistureba de seres sobrenaturais que deu certo, tem uma escrita bem gostosa, mas pecou pelo excesso. Ela poderia facilmente ter parado como uma trilogia que daria mais certo.
Senti uma grande dose de enrolação, tanto que até a metade do livro NADA de relevante tinha acontecido... fui bombardeada por cenas bem chatinhas, cuja indecisão de Kylie era a protagonista, principalmente. Ela, que sempre foi uma personagem legal, tornou-se insuportável em apenas um livro.
Confesso que demorei a conseguir avançar na leitura e finalmente chegar no final. E quando finalmente cheguei, percebi que Sussurros ao Luar é um livro completamente sem sal. Que a autora me perdoe, pois sei o quanto ela é competente, mas está na hora de dar um fim. 
As únicas cenas que realmente me cativavam no livro eram as partes de Burnett. Aliás, acho que ele merecia um livro somente dele... algo mais adulto, mais sensual... acho que as leitoras mais maduras iriam agradecer. E seria uma boa oportunidade de mudar de ares. Quem sabe não animava um pouco a série?
Bem, infelizmente, trata-se de mais uma série que se perdeu no meio do caminho. Provavelmente não lerei os próximos volumes.

Quantas estrelas:

Só tenho olhos para você - Bella Andre

Postado por Bia Carvalho

quinta-feira, 18 de julho de 2013


Editora: Novo Conceito
Páginas: 256
Série: The Sullivans #4
Faixa etária: 18+
Título Original: I only have eyes for you

A História: Desde que se entende por gente, Sophie Sullivan é apaixonada por Jake McCann. Recatada, tímida e a famosa "boa moça", Sophie é o oposto de Jake, que é mulherengo, desapegado... um "bad boy".
Porém, o que ela não sabe é que ele também a deseja. De forma desesperadora.
Então, a menina boazinha decide que sua melhor arma é a sedução, e que pode conquistar o homem que quer se apenas se permitir...

Minha Opinião: Acho muito engraçado quando leio uma resenha sobre os livros da Bella Andre onde a pessoa diz que esperava mais profundidade, um romance mais crível. Antes de ler essa resenha, portanto, saibam que eu também acho que essa série daria um caldo bem mais salgadinho se houvesse uma atenção maior com a história e menos com o romance em si. Cada livro tem muita coisa para ser explorada...
Mas não é o caso aqui. Bella Andre criou uma série para entreter. Somente isso. Os personagens masculinos são o sonho de consumo de metade das mulheres, as mocinhas são as "donzelas em perigo" - por seja lá qual for o motivo, e eles chegam como os machos alfas dominantes, pronto para "tomar posse" delas.
A fórmula é sempre a mesma.
Mas não em "Só tenho olhos para você". E, sim, Bella Andre conseguiu me surpreender.
Não que o livro seja menos superficial ou possua uma história mais profunda. A autora mantém seu jeitinho despreocupado e muito simples de escrever, sem aprofundar ou usar de metáforas. Tudo é direto, inclusive as cenas sensuais.
Mas desta vez, há um ponto muito peculiar no livro que fez toda a diferença.
Ela conseguiu demonstrar a mudança de dois personagens, por amor. Não posso contar o que gera essa mudança, mas posso garantir que é algo bem adorável.
Para as românticas de plantão, Jake é um prato cheio. E, apesar de não esperar por isso, eu curti Sophie. Além disso há uma peculiaridade de nosso mocinho que explica muitas coisas e lhe dá um passado. Adoraria que Bella Andre tivesse explorado esse assunto um pouquinho mais, mas ela realmente não tenciona dificultar as coisas...
O livro é uma gracinha e deixa mais um gostinho de ansiedade para o próximo...
Que venha Zach!

Quantas estrelas:





Fama - Tilly Bagshawe

Postado por Bia Carvalho

domingo, 14 de julho de 2013


Editora: Record
Páginas: 460
Série: -
Faixa etária: 16+
Título Original: Fame

A História: A refilmagem de um clássico como O morro dos ventos uivantes poderia ser a salvação ou a ruína de um grupo de pessoas.
Para Sabrina Leon, a estrela, poderia ser sua volta às telonas, depois de escândalos atrás de escândalos, e sua chance de salvar sua carreira que parecia estar completamente destruída.
Para Viorel Hudson, um galã com a carreira em ascenção, seria a vitória perante sua mãe adotiva manipuladora e cruel.
E ainda há Dorian Ramirez, o diretor falido, e Tish, a doce e jovem dona da propriedade que servirá de cenário para o longa metragem, que possui dívidas e um coração partido.
O encontro dessas pessoas tão diferentes e uma série de acontecimentos serão responsáveis por uma mudança definitiva na vida dessas pessoas; para o bem ou para o mal.
 
Minha Opinião: Não é segredo para ninguém que sou fã incondicional de Sidney Sheldon e foi através de suas parcerias póstumas que conheci o trabalho de Tilly Bagshawe. Eu ficava encantada com a forma como ela terminava as obras incabadas de Sheldon, me fazendo me perguntar onde era ela e onde era ele escrevendo. O que, com certeza, é um feito e tanto.
Comecei, portanto, a leitura de forma ávida, ansiosa, cheia de expectativas. E, apesar de não ter me desesperado com o livro, como acontecia quando lia qualquer história de Sidney Sheldon. Bem, mas não vamos comparar, não é?
A história que Tilly criou é fascinante. A forma como a trama se desenvolve, como tudo começa lentamente a se encaixar prova que ela sabe o que está fazendo. E muito bem. Seus personagens são construídos de forma extremamente crível. Nenhum deles é perfeito, nenhum deles é completamente bondoso ou completamente malvado. Não há vilões, apenas pessoas com passados difíceis que possuem personalidades extremas. Os antagonistas são todos os personagens, que acabam prejudicando a si mesmos e ao outros com atitudes inconsequentes.
O galã é odiável, a mocinha não é nem de longe uma mocinha. Adorei Tish. Ela, para mim, foi a protagonista do livro, me lembrando muito uma das minhas favoritas de Sheldon: a maravilhosa Dana Evans. Há outros personagens interessantes, criando uma base de coadjuvantes muito boa.
Mas vamos aos pontos negativos. O livro vai muito bem até chegar na parte final. Tudo começa a desandar, dando a impressão que o final não vai funcionar. E realmente não funcionou. Pelo menos para mim. Senti que Tilly quis dar um "e foram felizes para sempre" para sua história e tudo ficou parecendo artificial demais.
Ainda assim, a leitura vale a pena, especialmente para os amantes de livros que mostram os bastidores de Hollywood, as trapaças, o glamour e a decadência a que se pode chegar uma pessoa por causa de dinheiro, poder e fama.
 
Quantas estrelas:

O Pessegueiro - Sarah Addison Allen

Postado por Bia Carvalho

segunda-feira, 8 de julho de 2013


Editora: Planeta
Páginas: 256
Série: -
Faixa etária: 16+
Título Original: The Peach Keeper

A História: Uma cidade, uma casa, um segredo enterrado sob um pessegueiro... 
Diante de tudo isso, duas mulheres, Willa e Paxton, tentam encontrar a si mesmas sob a dúvida entre quem querem que elas sejam e quem elas realmente são. 
No meio disso, uma amizade improvável surge entre elas. Uma amizade que poderia estar destinada há muitos anos, sem que nem elas mesmas soubessem. Uma amizade que iniciara com um pacto antigo, um pacto que tinha a ver com um mistério jamais resolvido... e morte.

Minha Opinião: Sou um pouco suspeita para resenhar os livros de Sarah Addison Allen, pois ela, sem dúvida, é uma das minhas autoras favoritas. Depois de Nora Roberts, é claro. Seus livros possuem todos os ingredientes que me agradam: romance, suspense e uma pitadinha deliciosa de magia. E com O Pessegueiro, a impressão não poderia ter sido melhor. 
Com uma facilidade para criar personagens inesquecíveis, Sarah, desta vez, nos apresenta duas mulheres: Willa e Paxton. Ambas possuem sua cota de problemas para lidar, além de um passado em comum que não permite que sejam exatamente amigas. E é uma situação inusitada que termina por uní-las, fazendo com que acabem por descobrir um segredo, escondido há muitos anos, enterrado sob uma árvore. 
Além delas, somos apresentados também a dois homens, objeto de desejo destas mulheres, que são igualmente interessantes, as avós, unidas por uma promessa de sangue, e... um fantasma. Claro, porque não poderia faltar. 
O toque de sobrenatural na história é muito leve, quase imperceptível, porém, é um diferencial e tanto. Além disso, há algumas menções a personagens de meu livro preferido dela, o primeiro que me inseriu em seu mundo: Encantos do Jardim. Adoro quando autores fazem esse tipo de interligação com seus livros, dá todo um charme e nos deixa curiosos para ler suas outras obras. 
O final não é exatamente surpreendente, mas não acho que Sarah tivesse qualquer intenção de nos derrubar com uma reviravolta surpreendente. E, por mais que eu adore ser surpreendida, ter minhas teorias jogadas no lixo, também gosto quando o livro tem essa proposta de entreter de forma leve e divertida, despretenciosa. 
Maravilhoso, como sempre!

Quantas estrelas: 



Abandono - Meg Cabot

Postado por Bia Carvalho

quinta-feira, 27 de junho de 2013



Editora: Galera Record
Páginas: 303
Série: Abandon #1
Faixa etária: 13+
Título Original: Abandon

A História: Pierce Oliviera morreu aos 15 anos de idade. E reviveu.
Em sua experiência de quase morte ela encontrou John Hayes, um rapaz misterioso, sombrio e que já existira em seu passado.
 Porém, ao voltar à vida, trazendo consigo um colar que muda de cor quando ela está em perigo, coisas estranhas começam a acontecer com Pierce e as pessoas ao seu redor.  Ela sabe que está em perigo e que se morrer, desta vez, pode ser para sempre.

Minha Opinião: Eu sempre amei mitologia grega. A história de Perséfone e Hades sempre foi a minha favorita. Sempre achei extremamente romântico - apesar de sombrio -, e desde que descobri que havia uma recontagem desta fábula, tive vontade de ler. Na verdade existem vários livros com este tema, mas tive o prazer e a sorte de começar por um muito bom.
Quem acompanha meu blog sabe que eu sou um pouco alheia à carreira de Meg Cabot. Foram muito poucos os livros dela que li e não tive muita sorte nos que escolhi, com exceção dos históricos, que eu adoro. Mas Abandono entrou na lista dos favoritos. Por quê?
Porque a leitura é rápida, sem enrolações, bem divertida. Apesar disso tudo, em nenhum momento Meg nos trata como leitores idiotas. As revelações são coerentes (apesar de se tratar de um livro sobrenatural), a história tem uma consistência e é fácil perceber que ela aprofunda sua pesquisa nos mais diversos assuntos que aborda... ao menos neste livro.
Ela cria mitos, lendas, brinca com a mitologia, cita fatos interessantes - como a experiência de quase morte - e nos presenteia com personagens deliciosos. John tem um imenso potencial como mocinho. É sombrio, misterioso, atraente e protetor. Ele aparece pouco nesse livro, se levarmos em consideração que ele é o herói, mas suas aparições rendem algumas das melhores cenas da obra. Pierce não fica atrás. Ela é divertida, generosa e tem um senso de proteção muito apurado. Além desses dois há um background de coadjuvantes muito interessantes, todos dando suporte à história.
Fiquei surpresa com o final, pois esperava outro desfecho. O gancho para o próximo livro me deixou muito ansiosa. Espero que o volume 2, Submundo, não demore.

Quantas estrelas:

As Regras da Sedução - Madeline Hunter

Postado por Bia Carvalho

quarta-feira, 26 de junho de 2013


"Os pensamentos que fervilhavam na mente dele. Também percebeu a impressão que dava naquele momento: era uma mulher se submetendo a um homem de quem não gostava e em quem não confiava."


Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Série: The Hathaways #1
Faixa etária: 18+
Título Original: The rules of seduction

A História: Lorde Hayde Rothwell chega à casa de Alexia com a difícil missão de avisar à sua família que eles estavam falidos. E todos acabam acreditando que a culpa é dele.
Sem ver outra saída, Alexia aceita um trabalho como preceptora na casa da tia deste mesmo homem, ensinando uma jovem prima dele.
Porém, uma atração irresistível se forma entre eles, fazendo com que se entreguem à paixão. E, com toda sua honra, Hayden a pede em casamento.
Mas será que um casamento de aparências poderá resisir a segredos e tantos problemas?

Minha Opinião: Mais um histórico... mais uma autora desconhecida para mim, mais uma surpresa.
Foi uma deliciosa leva de romances e posso garantir com total certeza que todos os três são completamente diferentes. Na verdade, as autoras lançadas pela Arqueiro possuem escritas muito distintas. Lisa Kleypas é sensual, leve e muito romântica, com um pouquinho de drama; Julia Quinn é divertida, engraçada e muito espirituosa; já Madeline Hunter é séria, explicativa e mais lenta... talvez até mais madura. Então, esperem isso de As regras da sedução: muita maturidade e um texto crível, um amor que vai crescendo aos poucos, nascendo do desprezo total.
A forma como Madeline construiu um mistério e foi desvendando cada uma de suas nuances prova que ela é uma escritora genial. ela soube exatamente como nos apresentar os fatos e ir desconstruindo a história, nos apresentando algumas sutis reviravoltas. Tudo com muita calma e elegância.
Sim, o texto do livro em questão é muito elegante. Muito bem escrito... sem a pieguisse que pode ser característica de alguns romances históricos. Há cenas extremamente sensuais, um herói sensual, romântico e típico, a mocinha forte, destemida e que fala o que pensa e uma verdadeira batalha contra sentimentos (e POR sentimentos)
Não consegui sentir muita empatia pelos outros personagens da família de Alexia, mas nem sei se algum livro será focado neles. Em compensação, os irmãos de Hayden são interessantes, especialmente Easterbrook, que eu acho que dará um livro sensacional com seu jeito excêntrico. Espero uma protagonista à altura dele!
Recomendadíssimo, não apenas para mocinhas românticas, como para rapazes que gostem de um livro romântico, mas com sua profundidade e beleza.

Quantas estrelas:



Promoção Entre o Agora e o Nunca

Postado por Bia Carvalho

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Em parceria com a Editora Suma de Letras, o blog Amor, Mistério e Sangue está sorteando um exemplar do livro "Entre o agora e o nunca".

Que tal dar uma espiadinha no que eu achei da leitura??? Clique AQUI

Curtiu?

Então vamos ao que interessa...





Divulgando a promoção no Twitter, você ganha ainda mais pontos!!! A frase abaixo deve ser Tweetada apenas uma vez por dia!

PROMO ENTRE O AGORA E O NUNCA - Parceria do blog Blog_AMS1 + @Suma_BR! Viaje com essa leitura! http://bit.ly/11Zpego



A promoção será válida até 20/07/2013.

O ganhador receberá um e-mail requisitando seus dados, que deve ser respondido em até 72 horas.

O livro será enviado pela Editora Suma de Letras.

Boa Sorte!

PROMO "Minha lista de desejados no Skoob"

Postado por Bia Carvalho

sábado, 22 de junho de 2013

O Amor, mistério e sangue, em parceria com blogs amigos, anuncia uma promoção super legal!!!!

Que tal ganhar um de seus livros marcados como desejados no Skoob?

Taí a sua chance!


Para cada blog, 1 sortudo(a)...

Recapitulando, A pessoa que for sorteada receberá em casa um (1) dos livros que compõe a sua estante de desejados. O livro será surpresa.

Obs: O livro terá valor mínimo de R$ 19,00 à R$ 34,00.

Agora vamos as Regras:
  •     Ter cadastro válido no Skoob;
  •     Seguir os blogs Participantes;
  •     Ter Endereço de Entrega Nacional;
  •      Deixar um Comentário no Post da Promoção como o Link do Skoob;
  •     Preencher o Raffle.

 **  Cada Blog será responsável pelo envio do Livro para o Sortudo.

Outras Informações:

O sorteio começa hoje dia 22/06 e termina no dia 31/07.

Após a divulgação do resultado o(a) sortudo(a) deverá responder o e-mail dentro do prazo de 3 dias. Caso contrário, será realizado um novo sorteio.


O livro será enviado em até 45 dias para a pessoa sorteada.

Como eu era antes de você - Jojo Moyes

Postado por Bia Carvalho

sexta-feira, 21 de junho de 2013


"Sabe como é difícil não dizer nada quando seu corpo inteiro quer fazer o contrário?"
Pág. 310

Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Série: -
Faixa etária: 16+
Título Original: Me before you

A História: Louisa Clark achava que sua vida simples e rotineira era tudo que precisava. Uma família complicada como tantas outras, um namorado de muitos anos, por quem ela não sentia aquela paixão avassaladora e trabalhava em uma cafeteria. Bem... ela achava que era feliz.
Até que perde o emprego e acaba sendo contratada por uma família rica para cuidar de Will Traynor, um homem de 35 anos que ficou tetraplégico depois de um acidente.
Em uma jornada árdua e cheia de surpresas, Louisa e Will terão que aprender a conviver e a compreender seus próprios destinos.

Minha opinião. Há livros que são como o destino...  Aparecem em nossa vida com um propósito... 
Foi o caso de Como eu era antes de você... Eu nunca tinha lido nada desta autora, mas a sinopse chamou a minha atenção, e como estou numa vibe de livros mais profundos e emocionantes, tudo casou perfeitamente.
Jojo Moyes teve o dom de contar uma história triste de uma forma divertida, bela e gostosa de se ler. A simplicidade na criação dos personagens - que ao mesmo tempo são tão intensos e reais - é o mais charmoso da obra. É quase impossível não se identificar com algumas características do comportamento de Louisa, com suas inseguranças, suas dúvidas, seu conformismo... Também não há como não compreender a posição de Will, sua vontade de abandonar todo aquele sofrimento, sua relutância em tentar ser feliz, em aceitar... Aceitar? Como??? 
A todo momento, durante a leitura, eu me perguntava qual seria minha posição se estivesse no lugar de Louisa ou da família de Will, se a situação que lhes foi imposta acontecesse comigo. Durante todo o livro, fiquei simplesmente sem saber para qual opção de final torcer, mas acho que Jojo fez a melhor escolha, no final das contas.
Este livro fala de mudanças, de novas chances, de redenção. Fala de um tipo de amor puro, que está raro nos livros de hoje em dia que focam em aparências, sexo e virilidade. Fala de uma dor devastadora, de um caminho cheio de espinhos, e da longa jornada até a felicidade... Ou pelo menos uma parte dela.
Conversando sobre esse livro com uma colega de trabalho, ela mencionou um filme com uma história bem similar, mas que eu ainda não tive oportunidade de ver. O filme chama-se Mar Adentro, com Javier Barden. Em breve assistirei.
Em suma, um livro emocionante, imperdível. Quase obrigatório...

Quantas estrelas: 

 

Entre o agora e o nunca - J.A. Redmerski

Postado por Bia Carvalho

quarta-feira, 12 de junho de 2013


"A razão está gritando comigo de novo, me mandando parar com isso antes que seja tarde demais, mas não consigo. Sou egoísta demais."
Pág. 206

Editora: Suma de Letras
Páginas: 359
Série: Edge of never #1
Faixa etária: 18+
Título Original: The Edge of Never  

A História: A vida de Camryn parece uma longa sucessão de perdas. O primeiro amor morreu em um acidente, o pai abandonou a família, o irmão foi preso, ela foi traída quando decidiu recomeçar um novo relacionamento, e, para completar, briga com a melhor amiga por causa de um garoto. Deprimida, ela decide seguir em uma viagem meio sem rumo, disposta a ficar sozinha, com apenas a companhia de sua mochila e seus dissabores. Mas ela não contava em conhecer Andrew. Andrew também está seguindo uma árdua jornada, e juntos eles redescobrirão os prazeres da vida, e principalmente o amor...  

Minha Opinião: É, o New Adult veio para ficar. Fico feliz com isso, pois eles são como uma brisa refrescante no meio de muitos livros mais do mesmo. Nada de vampiros, nada de anjos, nada de sexo sem amor. Somos sempre apresentados a um casal com uma grande carga dramática, em uma jornada complicada... as histórias costumam ser intensas, sensuais e emocionantes. Foi o caso de Entre o agora e o nunca. Somos brindados com o ponto de vista dos dois protagonistas, alternando capítulos de Camryn e Andrew. Isso faz com que a obra não se torne cansativa, uma vez que J.A. soube caracterizá-los bem. E ainda bem que ela fez isso, pois não há a adição de personagens secundários muito significativos, nem há histórias paralelas impactantes. Em quase sua totalidade, o livro é focado apenas nos dois, o que nos permite conhecê-los bem a fundo. Apesar disso, confesso que encontrei algumas partes entediantes, desnecessárias. Também não curti o final. Acho que tudo aconteceu de uma forma muito corrida e extraordinária, como se a autora tivesse decidido que queria uma reviravolta no meio do caminho. Criei outro desfecho em minha cabeça, e acho que ele me deixaria muito mais emocionada, inclusive, abrindo caminho para o segundo livro da série, que espero que não seja apenas enrolação, uma vez que não haveria necessidade de uma continuação. Pelo menos na minha opinião. Encaro Entre o agora e o nunca como um livro bastante divertido, leve e despretensioso, mas não consegui me emocionar como desejava que tivesse acontecido. Ainda assim, me vi muito presa à história, cativada desde o primeiro momento. Posso dizer com segurança que os diálogos são ótimos e há um clima de liberdade delicioso, intrínseco em cada parte do texto. Juro que deu vontade de arrumar uma mochila e sair viajando pelo Brasil, sem muito rumo ou objetivo.  

Quantas estrelas:  

As feiticeiras de East End - Melissa de La Cruz

Postado por Bia Carvalho

quinta-feira, 6 de junho de 2013



Editora: ID
Páginas: 310
Série: Família Beauchamp #1
Faixa etária: 16+
Título Original: Witches of East End

A História: Uma cidade. Três bruxas. Proibidas de usarem seus poderes, elas vivem como humanas, porém, com a condição de serem imortais.
Redescobrindo a magia, elas se veem tentadas a ajudar a cidade, sem nem perceber que estão colocando a si mesmas em perigo. Além de entregarem seus corações de forma irreversível e perigosa...

Minha Opinião: Demorei muito para preparar a resenha desse livro. Na verdade, demorei para terminar de lê-lo também.
Quem acompanha o blog há algum tempo, sabe de minha predileção por histórias com aquele delicioso toque sobrenatural. Quando o tema é especificamente "bruxas", ai mesmo que meu coração bate mais forte. Foi exatamente o que aconteceu quando me deparei com a sinopse deste livro. Junte um de seus assuntos preferidos com uma autora que você já conhece e confia... o que poderia acontecer? Puro deleite??? Ledo engano.
Fui surpreendida - ou melhor, desiludida - por uma história morna. É, talvez esse seja o adjetivo ideal para descrever esse livro. Não é de todo ruim, a premissa é interessante, mas lamento dizer que Melissa de la Cruz, que normalmente me deixa perplexa e sem ar durante as leituras que faço de suas obras, não conseguiu me prender nem entreter.
Na verdade, eu não consegui identificação com nenhum personagem, menos ainda com o enredo. Eu senti que ela parecia não estar indo a lugar algum, embora as páginas avançassem. Por mais que houvesse uma ação acontecendo, eu simplesmente não estava me sentindo mais conectada ao universo daquelas mulheres.
Claro que não posso deixar de mencionar a beleza contida na forma como Melissa escreve. Por mais que a história não seja das melhores, ainda há aquela poesia sutil, as metáforas inteligentes e as descrições interessantes; mas perdeu-se um pouco da emoção e da criação de personagens cativantes. 
Tenho uma leve impressão que a autora tencionava dar um toque de Anne Rice à sua história. E eu até consegui ter um leve vislumbre de As bruxas de Mayfair na ambientação. Mas, apesar da sutil semelhança, não passa disso.
Bem, caso você não se importe em ler um livro morno, porém bem escrito, talvez você o aprecie mais do que eu.

Quantas estrelas:


Meus livros

Postado por Bia Carvalho

domingo, 2 de junho de 2013

(Este post será constantemente atualizado)


JARDIM DE ESCURIDÃO
(Vol. 1 - Trilogia das Cartas)

"Todo dom pode ser uma bênção ou uma maldição..." 

Quando Faith Connor recebe uma carta deixada por sua avó, após a morte da mesma, contendo um último pedido, ela não esperava que sua vida ganharia um rumo inesperado. 
Detentora de um dom especial de compreender as flores, cujos significados lhe fornecem visões de acontecimentos futuros, ela atende o pedido da avó, levando uma flor especial a seu túmulo e acaba conhecendo Rowan Allers, um homem atormentado pela morte da irmã, assassinada por um serial killer. 
Sentindo uma estranha conexão com aquela história, Faith o ajuda a investigar, sem nem saber que seus destinos estavam ligados de forma perigosa e até fatal.


Onde Aquirir?

www.biancacarvalho.com.br

R$27,00 - Frete grátis para todo Brasil




QUANDO CHORAM OS ANJOS
(Vol. 1 - Série Porto das Águias)

Bem-vindo a Porto das Águias, uma cidade mágica. 
Uma cidade cheia de suas lendas, amaldiçoada por amor, lar de uma irmandade de bruxas poderosas e cheias de mistérios. E é em Porto das Águias que uma mulher tentará encontrar seu destino.
 Mirella Morgado nunca poderia imaginar que o sangue de uma bruxa corria em suas veias, e muito menos que sua história seria escrita com magia, romance e... morte. Há alguém que não quer que Mirella permaneça na cidade e desenvolva suas habilidades. Um assassino perigoso que carrega um segredo que poderá mudar sua existência e colocar toda a cidade em perigo. Para sempre.


Onde Adquirir?

http://www.amazon.com.br/Quando-choram-anjos-%C3%81guias-ebook/dp/B00D8ZZOE6/ref=sr_1_1?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1371950837&sr=1-1&keywords=quando+choram+os+anjos

Versão Digital
Apenas R$3,90

O duque e eu - Julia Quinn

Postado por Bia Carvalho

terça-feira, 28 de maio de 2013


"Nesse momento, Daphne entendeu que seria uma tola se não se apaixonasse por ele.
É claro que queria que fosse recíproco."
Pág. 90

Editora: Arqueiro
Páginas: 281
Série: Os Bridgerton #1
Faixa etária: 18+
Título Original: The Duke and I

A História: Simon, o duque de Hastings, não teve uma infância muito fácil. Rejeitado pelo pai, dono de uma deficiência que cura com muita força de vontade, tudo que ele quer é se vingar.
Ao voltar para casa, para assumir seu título, ele apenas não esperava se deparar com Daphne Bridgerton.
Daphne é uma moça espirituosa, inteligente e atraente, mas não parece atrair muitos rapazes, que sempre a veem como amiga. No caso de Simon é o contrário, por ser um solteiro cobiçado, as mães das debutantes logo começam a caçá-lo, tentando fazer com que ele escolha uma de suas filhas.
Então eles selam um pacto: Simon fingirá que a corteja para se livrar dessas perseguições, enquanto tenciona mostrar aos rapazes da sociedade que Daphne é desejável até para um duque.
Mas até onde a brincadeira pode levá-los?

Minha Opinião: Estou mesmo numa onde de históricos. Iniciei o livro com a mesma expectativa que tive ao abrir a primeira página de Desejo à meia-noite, e não me decepcionei. Ainda bem.
As semelhanças entre as duas histórias limita-se apenas ao fato de que ambas se passam em um tempo épico e se tratam de romances sensuais... apesar de ambas fazerem parte de séries que contam histórias de uma família com vários irmãos, as duas autoras criam suas obras com atmosferas completamente diferentes.
Enquanto Lisa Kleipas manteve um clima sensual e mais sóbrio - apesar de leves tiradas bem humoradas -, o grande forte de O duque e eu é o humor. Não é nada exagerado, nada que chegue ao status de "pastelão", mas as cenas, mesmo nas mais sensuais, podemos sentir aquela leve pitadinha de comédia.
A começar pelo protagonista, o sexy e atraente Simon. Apesar de ser um libertino, charmoso e inteligente, há uma peculiaridade em nosso herói que limita um pouco sua perfeição. Isso, é claro, contribui e muito para esse tom mais engraçado do livro. Além disso, seu duelo com a mocinha, em diálogos extremamente espirituosos, é bastante agradável. Os dois são espertos, falam o que pensam e iniciam uma espécie de amizade que os leva ao pacto e, sem que nem esperem, ao amor.
Não posso comparar os dois livros, mas se o fizer, vou dizer que O duque e eu é mais fraco que o que li anteriormente. Não que a história seja menos interessante, mas eu, sinceramente, não consegui me encantar com o herói. Simon é um cabeça-dura, obtuso, dono de umas atitudes que não me convencem... aliás, nem mesmo o fofo final do livro o redime comigo. Sim, sou difícil, hehehe
As cenas sensuais são uma graça! Especialmente se levarmos em consideração a inexperiência de Daphne. Achei interessante que a autora tenha dado ênfase a isso, enquanto outras caracterizam mocinhas virgens e puras como deusas sexuais logo na primeira vez. Na verdade, Julia Quinn, pelo que pude perceber, é uma excelente "criadora" de personagens. Ela sabe dosar defeitos e qualidades na medida certa, sem descaracterizar ninguém ou nos dar a impressão de todos possuem a mesma possibilidade.
Ah! Não posso deixar de mencionar o misterioso jornal de Lady Whistledown, que dá um charme a mais ao livro.

Quantas estrelas: