Apátrida - Ana Paula Bergamasco

Postado por Bia Carvalho

terça-feira, 7 de dezembro de 2010


¨- No passaporte, na minha nacionalidade, está escrito: Apátrida. O que quer dizer isto?
- Quer dizer que a senhora, daqui por diante, não tem pátria.¨

A História: Em Apátrida conhecemos a história de Irena, polonesa, jovem, bonita, com uma família grande e uma vida marcada por sofrimentos e tragédias - um amor fracassado por Jacob, seu amigo judeu, mas o poder de suas religiões distintas, foi maior que o poder dos sentimentos, e ele acaba se casando com uma outra mulher.Apesar de perder seu maior amor, Irena se casa e tem filhos, aprendendo a amar sua família.Porém, a maior desgraça de sua vida ainda estava por vir: o Holocausto. Sim, uma das maiores tragédias do mundo e Irena faz parte dela, de uma maneira devastadora, mas muito corajosa.

Minha Opinião: Pessoal, vocês sabem que em todas as minhas resenhas, eu primeiro conto a história do livro, de um ponto de vista muito pessoal e depois dou a minha opinião. Preferi me abster de uma sinopse maior porque fiquei com medo de começar a falar demais, e em um livro onde todos os fatos estão interligados, tudo pode ser um Spoiler.
Eu me senti em frangalhos ao terminar de ler o livro Apátrida. É como se a história penetrasse em nossa alma, se tornasse parte de nós.
Não é um livro fácil de se ler, apesar de ser contado de maneira muito suave. É um drama tocante, cheio de tragédias e momentos difícieis. E o que é mais angustiante, é que a protagonista é tão especial, que não queremos que ela sofra tanto, mas quando pensamos que ela vai ter um momento de paz, algo desanda e ela já está lá, sofrendo novamente. Suas lindas histórias de amor, tão trágicas, seus sentimentos tão aflorados e suas batalhas interiores e sua bravura, são invejáveis.
Além de uma linda história, a capa é deslumbrante. Toda em preto e branco, com o olho (que acredito ser de Irena), em um lindo tom de azul, com uma expressão triste de doer e o campo de concentração logo abaixo, traduziram exatamente a sensibilidade do livro.
Nota dez para nossa querida escritora nacional Ana Paula. Que venham mais trabalhos belíssimos como esse.

Quantas estrelas: ****

Tem uma trilha sonora? Escolhi Solitary Ground do Epica porque fala de uma pessoa que está procurando um lar, algum lugar onde possa ter paz. Acho que por mais que a letra não seja perfeita, combina com o livro e a busca de Irena por felicidade e tranquilidade.

"Em mim
Ainda há um lugar que
Me completa
Uma santidade que eu chamo de lar
Para onde eu corro
Quando o inverno chega
Se eu tentar, posso encontrar terra firme?"

4 comentários:

Naniedias testemunhou...

Bia, adorei a sua resenha *-* Esse livro tem sido ultra bem comentado por todo mundo =) E eu já estou doida para poder lê-lo!

Beijos

Nana * testemunhou...

Bia *-*
Minina, quando sai esse seu livro? Estou super ansiosa, rsrsrs...

Amada, fiz um novo blog.
Agora é só de resenhas.
Aceita parceria?

http://bellosromances.blogspot.com/

Beijão.

Renata testemunhou...

Oi Bia!!!
Ainda não tinha me interessado por esse livro, mas depois de ler sua opinião EU QUEROOO. Parabéns foi tocante.
beijos

ana paula bergamasco testemunhou...

Querida Bia!
Gostei da resenha e adorei o tema da música!
Não se esqueça do meu exemplar AUTOGRAFADO do Jardim da Escuridão!
Um beijão, Ana

DÊ SEU TESTEMUNHO...