Bate-Papo entre autoras #1 - Fabiane Ribeiro

Postado por Bia Carvalho

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Olá, pessoal!

Hoje trago para vocês uma entrevista diferente. Bem, na verdade não foi uma entrevista, foi um bate-papo gostoso com Fabiane Ribeiro, autora do livro Xadrez, lançado pela Multifoco. Foi uma troca de experiências muito interessante, que eu espero que seja interessante para vocês também. Falamos de editoras, nossos personagens, inspirações e muito mais...

Confiram! (As frases em vermelho são da Fabi e as em azul são minhas)


F: Primeiro, me fale um pouquinho sobre quem é você e o que você faz além de escrever.

B: Eu sou formada em marketing, mas gosto de brincar que essa profissão não gostou de mim. Então, parti para a áreaadministrativa e hoje trabalho em uma empresa de petróleo e gás. Como isso não me dá muita oportunidade de criar e fantasiar, essa nova vida de escritora é um escape para mim. E hoje eu vejo que é o que eu quero para minha vida.

Eu achei o enredo do seu livro muito original, o que te inspirou a escrevê-lo?

F: Eu sempre admirei escritores que escrevem sobre criança, mas não para crianças. Livros como O Caçador de Pipas e O menino do Pijama Listrado foram minhas grandes inspirações.
E pessoalmente eu escrevi ele em um momento difícil, em que eu estava doente.
Então toda força de que eu precisava naquele momento, eu tentei colocar nos personagens, para que
eles pudessem transmitir isso aos leitores.

Agora, conte um pouquinho como foi criar o livro 1 de sua trilogia.


B: Quando eu imaginei Jardim de Escuridão pela primeira vez, eu vi o livro
todo na minha cabeça, pelo menos por alto.
Depois, antes de começar a escrever, eu pesquisei o significado das flores para poder dar uma veracidade à história. Então, encaixei esses significados nas situações e o livro foi crescendo,
tomando forma. O desenrolar foi vindo aos poucos, e ele foi muito, muito gostoso de escrever.

Me conta... como foi o processo de publicação??? A busca por uma editora?


F: No começo eu não sabia se ia mesmo publicar e confesso que não sabia
nada sobre o processo de edição. Aí, quando o livroficou pronto, comecei a pesquisar e a enviar pras editoras. Mas eu era muito ingênua, e enviei apenas pra grandes editoras,
que dificilmente aceitam originais. Fiquei um ano nesse processo,
tendo recebido alguns nãos, e a maioria das editorasnem respondeu, rs.
Aí tive a ideia de buscar por editoras menores que abrem as portas,
então enviei pra Multifoco e logoeles me aceitaram.

B: Você tem algum personagem seu que seja seu xodó?

F: Boa pergunta, rs... tenho sim, o Pepeu. Na verdade a relação entre o Pepeu e a Anny
é o meu xodó. Ela já está na nova fasede sua vida, longe dos pais, e sendo escravizada... e pede todas as noites para que o "Papai do Céu" envie alguém para jogar
xadrez com ela e fazer-lhe companhia. Assim, o Pepeu surge misteriosamente
em sua vida e ele passa a ser um irmão mais velho, um anjo, um guardião para ela. A vida dele, quem ele é e tudo mais são mistérios, que revelo mais pro final.

Agora quero saber quais autores e livros vc mais admira.

B: Ah, minha autora FAVORITA, DIVA, MARAVILHOSA é a Nora Roberts...
tanto que meus livros têm muita influência dela.
Gosto também de literatura fantástica, de suspense... adoro Sidney Sheldon,
Linda Howard, Danielle Steel...
Tem um livro que eu sei que nunca vou esquecer: Se houver amanhã do Sidney Sheldon.

E vc, quais autores vc admira?

F: Eu admiro Khaled Hosseini, John Boyne, William Young (por sua trajetória pessoal e pela jornada de seu livro), Kim Edwards.
Esses são os que me inspiram. Na obra de todos, os maiores ensinamentos são transmitidos por crianças, da maneira mais
pura e emocionante possível. E tbm adoro JK Rowling, pq sou pottermaníaca também, mas não escrevo fantasia.

B: EU AMO HARRY POTTER

F: Agora, sobre o título do seu livro, que é lindo. Qual a relação dele com a história e qual a relação pessoal com você?

B: Boa pergunta!
A personagem principal do livro tem um jardim "mágico". As flores conversam com ela, lhe transmitindovisões do futuro, e essas visões podem ser boas ou sombrias, então, essa é a contradição do nome do livro... que o Jardim,uma coisa tão bela, pôde encher a vida da Faith de escuridão com as visões de um futuro que começava a assombrá-la.
A relação comigo, é que eu gosto muito de flores. Acho que elas são mágicas,
e tenho certeza que todas as coisas que Faith"adivinha" poderiam facilmente ser verdadeiras, ligadas ao significado das flores.

Mas menina, me conta desse nome tb. Vc gosta de xadrez?? Joga bem, hehehe?

F: Jogo mais ou menos, só por diversão, rs.
Na verdade, o título é o seguinte: o jogo de xadrez foi o último presente que a Anny
ganha do pai, antes de ser separada dele e da mãe.
Então, na nova vida, ele passa a ser a ligação eterna entre ela e aqueles
a quem ela ama. Tudo oq é felicidade nela, é "xadrez", então ela passa a sonhar
(ela se liberta através dos sonhos, na nova vida de
prisão) com um Reino Xadrez onde faz amizade com as peças do jogo, que passam a ajudá-la a conhecer a si própria e avencer as dificuldades da vida.

Vc cria personagens inspirados em pessoas que conhece?

B: Não.. mas depois eu "encontro" pessoas que conheço neles.
Acho a Cailey, irmã da principal de Jardim de Escuridão,protagonista de Versos Sombrios, muito parecida comigo em alguns aspectos.

Se vc pudesse fazer um elenco para seu livro, vem alguém em mente para interpretar os personagens? (adoro essa
pergunta, hahaha)

F: Nossa, difícil essa haha... pras crianças não.
Tem mtas crianças no livro (Anny, Desiré, George, Raphael)...

B: Eu sempre imagino alguém e tenho curiosidade de saber
quem os autores escolheriam

F: Queria q vc falasse para os leitores como funciona a impressão sob demanda
e oq vc acha dela.

B: É assim... depende muito da editora... tem umas que pedem um pagamento
pelo trabalho de editoração (capa,
diagramação, revisão...) e outras cobram apenas pelos exemplares que você comprar,
que foi o caso da Literata.
Eu paguei pelos exemplares que comprei e os que eu revender, o lucro é 100% meu.
Eu acho uma ótima alternativa aqui no Brasilquando as editoras grandes fecham os olhos para os autores nacionais. Eles não sabem o que perdem, ainda mais hoje em
dia que vários talentos estão aparecendo.
Contudo, é um investimento alto, e você tem que estar preparado para isso.

F: Pra finalizar, eu queria q vc desse uma dica pra todo mundo
q deseja se tornar um escritor nos dias de hje q dissesse pq eles devem ler seu livro.

B: Eu acho que o mais importante é não desistir,
mesmo com os muitos "NÃOS" que irá receber. E escrever o que gostam..
nada de seguir modinhas, porque ai não é verdadeiro!
E eles têm que ler meu livro porque é uma história sutil, apesar do toque de violência, e tem uma bonita moral de amizade e amor pela família.

Fabi, deixe tb um recadinho para quem ler o bate-papo ^^


F: Quero agradecer a todos por lerem esse "bate-papo entre autoras"
e prestigiarem a literatura nacional, que é muito rica e
realmente só precisa de mais investimento. Dizer que nunca desistam de seus sonhos e não se deixem abater frente às dificuldades. Cada um tem uma jornada com flores e espinhos ao redor.
Em "Xadrez", a Anny escolhe ver apenas as flores de seu caminho. Todos nós podemos
fazer o mesmo!

Vocês podem conferir a sinopse do livro da Fabiane AQUI
E vale a pena também visitar o blog dela, onde esse mesmo bate-papo também estará disponível: http://reinoxadrez.blogspot.com

3 comentários:

Fabiane Ribeiro testemunhou...

Oi Bia!
O bate-papo foi ótimo mesmo! Obrigada por tudo, principalmente pela força na divulgação! Estamos juntas na luta pela literatura nacional! um beijo, Fabi.

Gisele testemunhou...

Nossa que legal que ficou essa entrevista meninas!!!!!
Agora fiquei aqui morrendo de vontade pra ler os livros de vocês!!!!!!
Muito sucesso para as duas!!!!!

bjus

Almerinda Correia Senra testemunhou...

sucesso amiga, amei o bate papo, quando é que vc vai ser entrevistada pelo Jô Soares???? te adoro!!!!

DÊ SEU TESTEMUNHO...